Das palavras que podiam ser minhas

Victoria Beckham

A merda da vida, e a forma acelerada e atribulada como ela vai acontecendo, rouba-nos quase sempre esta capacidade de amar só porque sim, de amar de forma deslumbrada e sem freios. Temos sempre de ter muito cuidado com tudo, temos sempre de ir muito devagar, temos de ter sempre em atenção as intenções dos outros, temos sempre de enquadrar o nosso amor no nosso passado e no passado das outras pessoas, temos sempre de racionalizar tudo o que fazemos e sentimos, sendo que isso é precisamente o oposto de sentir.

Do blogue O Arrumadinho.

Das vontades

large (10)

Eu: Martinha, que prenda queres no teu aniversário?

Ela: Ir à Disney!

Eu: Martinha, que prenda vais dar à Mãe nos anos?

Ela: Vou levar-te à Disney!

Eu: Não queres ver a nova série do Mickey na televisão?

Ela: Não, só quero ver o Mickey em Paris.

E face a esta conversa, que já enjoa, parece que tenho de lhe fazer a vontade, até para ver se a miúda deixa de estar ougada.

Nham, nham!

Heidi Klum

Heidi Klum

Apetecia-me muitíssimo uma grande hambúrguer do Mc Donald’s para o almoço. Podia ser o Big Mac. Não fazia mal, desde que matasse estas minhas vontades.

Da melhor declaração de amor

Podia escrever aqui muita coisa sobre Ele e o que representa para mim mas vou apenas dizer esta. Quando Ele me pedir em casamento, direi, sem medos,

oui-oui-2

E quem conhece a minha história, sabe que esta é a maior declaração de amor que lhe podia fazer.